INTERAÇÃO

2007 - ano do reconhecimento e valorização da empresa

VOLTAR

Por Heli Gonçalves Moreira

Sócio-diretor da HGM Consultores

Janeiro/ 2007.

 

Neste início de ano e de mandatos governamentais, em ritmo de PAC, montado com o chapéu alheio, como comentaram alguns analistas econômicos e privilegiando apenas alguns setores específicos, sentimos fortalecer nossa crença de que as empresas, nacionais ou multinacionais, cumprem um importante papel no crescimento do País, aliado à melhoria da qualidade de vida. O mais grave e lamentável é que este fato não é reconhecido pela sociedade, pelos seus empregados e muitas vezes, pelos seus próprios dirigentes e acionistas. O que nos credencia fazer tal revelação é o Projeto Valorização do Emprego, que temos desenvolvido em algumas empresas. Por meio dele são identificadas e divulgadas internamente todas as políticas, programas, sistemas, práticas, ações e investimentos da empresa que, de alguma forma, direta ou indireta, se reverte em benefício dos empregados e seus familiares. Qual não tem sido a surpresa dos dirigentes, gestores e dos próprios colaboradores ao constatarem a qualidade e a quantidade de coisas, denominadas Indicadores do Valor do Emprego, que a empresa proporciona aos seus empregados e que não são percebidas e valorizadas. E mais, quando algumas destas coisas não vão bem, por mais insignificante que seja o problema, se tornam objetos de críticas e reclamações contundentes, denegrindo a imagem da empresa e de seus dirigentes. Em muitos casos foram identificados mais de cem Indicadores do Valor do Emprego que, distribuídos de acordo com a escala de necessidades de Maslow: Básicas, Segurança, Sociais, Auto-Estima e Auto-Realização, dão uma visão clara e abrangente cumprimento do papel social da empresa. As empresas que, por meio de suas políticas e práticas, efetivamente contribuem para o desenvolvimento do País e da sociedade, têm o direito e a obrigação de dar publicidade ao fato, visando o reconhecimento e a valorização dos seus empregados e da comunidade, bem como servindo de estímulo às outras empresas ainda não sensibilizadas.


Compartilhe:  Bookmark and Share