INTERAÇÃO

Uma Nova Modalidade de Sequestro

VOLTAR

Por Heli Gonçalves Moreira

Sócio-diretor da HGM Consultores

Agosto/ 2006.

 

Tecnicamente falando, três são os componentes básicos do processo de comunicação: 1.Dados, que garantem a consistência das Informações. 2.Informações, que garantem a significância das Mensagens. 3.Mensagens, que garantem o recebimento e assimilação das Informações. Até pouco tempo estes conceitos foram suficientes para explicar o processo da comunicação como grande responsável pela evolução do ser humano. O advento da Internet e dos recursos da informática, viabilizando a comunicação eletrônica on-line, especialmente os emails, está exigindo uma revisão destes conceitos tradicionais. À primeira vista, o que deveria facilitar a vida organizacional, disponibilizando maior quantidade de novas informações e reduzindo o tempo de acesso às mesmas, a julgar pelas reclamações dos executivos, está surtindo um efeito contrário. Em todos os encontros e reuniões, invariavelmente os executivos derramam lamúrias sobre os incômodos e transtornos causados pela suas famosas caixas de emails. Entretanto, o que se questiona, até onde estas lamúrias são, de fato, o que realmente parecem ser? Um intrigante silogismo pode explicar isto. •Premissas: Informação é poder, por garantir a significância de uma mensagem. Receber muitos emails equivale a receber muitas informações. •Conclusões: Considerando que: o desejo pelo poder é intrínseco à maioria das pessoas; que as informações são fontes de poder; e que emails contém muitas informações, a maioria das pessoas, em especial os executivos, gostam de emails. Portanto, as afirmações de que os emails “roubam o precioso tempo das pessoas” e “acabam com a paciência de qualquer um” são meramente discursos ou uma nova modalidade de seqüestro? Pense nisto! A realidade é que, desejando ou não, a maioria dos executivos, em todos os níveis, está se tornando reféns de suas caixas de correio eletrônicas, na exata medida que cresce o grau de informatização nas empresas. Mas nem tudo está perdido. Veja o exemplo de um alto executivo de uma grande empresa, que conseguiu se libertar de sua caixa de correio eletrônica, passando a ser proprietário do seu tempo e, especialmente das suas prioridades. Para tanto, com base em alguns critérios, estabeleceu quatro regras básicas para o recebimento de emails internos, dividindo as responsabilidades com a sua secretária: 1.Recebe indistintamente todos os emails de seus superiores, especialmente do seu chefe direto, afinal... 2.Recebe, com algumas restrições, os emails de seus pares. 3.Recebe, com muitas restrições, os emails dos seus subordinados. 4.Não recebe qualquer outro tipo de email, de quem quer que seja. Eu, como Consultor de sua empresa e de sua confiança, fui agraciado com a informação sobre seu novo procedimento e, numa deferência especial, quando tenho algum assunto que deva ser repassado por email, informo-o previamente através do celular, tomando o cuidado para não exagerar na dose e ser enquadrado na regra de número quatro.


Compartilhe:  Bookmark and Share